Curiosidades

Histórico da Família Tonello - Nova Prata

Todos os imigrantes italianos,com seus espíritos aventureiros, viam no Brasil uma espécie de Terra Prometida. Esses tinham sonhos e desejos muito grandes, mas as condições que a Itália lhes oferecia, não eram mais suficientes.

Assim não foi diferente com Matteo Tonello, que nasceu em MORIAGO –em Treviso na Itália, no ano de 1846.

Com sonhos de também ter uma vida melhor, migrou para ao Brasil em 1888, chegando na antiga cidade de Alfredo Chaves, hoje chamada de Veranópolis, no dia 28 de janeiro de 1888, com 31 anos.Também vieram com ele 5 de seus irmãos. Angelo – 30 anos, Catterina – 8 anos, Leonardo – 6 anos, Vicenzo – 3 anos, e Angela com 1 ano. Seu pai Girolamo, como ocorreu com muitos de nossos queridos imigrantes e descendentes, chegou morto ao Brasil.

Matteo, era agricultor e casou-se com Angela Dal Palu, também natural da Itália. Desta união nasceu Angelo Tonello, que seguiu a profissão do pai como era de costume na época.

Angelo Tonello, casou-se com Regina Soccol, ele agricultor e ela do lar, casaram-se no dia 14 de novembro de 1914, na comunidade de São Liberal, Vista Alegre do Prata, que na época pertencia a Nova Prata.

Desta união, nasceram 9 filhos:

* Luiz Tonello, que casou-se com Maria Zeca Tonello (ambos falecidos) e tiveram 5 filhos.
* Matteus Tonello, que casou-se com Carolina Melatti Tonello (ambos falecidos) e tiveram 3 filhos.
* Angelina Tonello Jakomim, que casou-se com Pedro Jakomin (ambos falecidos) e tiveram 5 filhos
* Domingos Tonello (falecido), casou-se com Oliva Dalla Costa Tonello e tiveram 5 filhos.
* Antonio Tonello, casou-se com Jardelina Spagnol (ambos falecidos) e tiveram 4 filhos
* Geronimo Tonello (falecido) casou-se com Madalena Pelegrini Tonello e tiveram 6 filhos
* GENTILIA TONELLO PELEGRINI (HOMENAGEADA) , casou-se com Guerino Pelegrini e tiveram 10 filhos.
* MARIA TONELLO SPAGNOL(HOMENAGEADA), casou-se com Balduino Spagnol (falecido) e tiveram 3 filhos .
* Olivo Tonello (falecido) casou-se com Raildes Savariz e tiveram 4 filhos.

Falar de Angelo não é difícil, pois sempre foi pessoa simples que se dedicou ao trabalho na agricultura, e deu o sustento a sua família com dignidade, podendo não ter abundancias para aquela época, mas nunca deixando faltar o essencial para sua família, que amava muito.

Era pessoa muito feliz, e os filhos que aqui ainda estão podem lembrar com carinho das anedotas contadas pelo pai ao redor do fogão a lenha.

Participava de todos os eventos da comunidade, para ele não existia tempo feio, adorava uma boa festa, e o jogo da mora, sempre faceiro, cativava quem estava ao seu redor, com muita alegria.

Não podemos esquecer, que ele adorava um bom vinho. Afinal, TONELLO que é Tonello de verdade, não dispensa este precioso líquido.

Cidadania Italiana

A cidadania italiana para nós oriundi (descendentes), não significa somente manter um vínculo jurídico com o estado italiano, mas muito mais, significa recuperar uma série de valores afetivos e nossa própria identidade, traduzidos no desejo de poder manter vivas as relações com o país de nossa herança cultural.

Portanto, quando vamos ao consulado, não estamos solicitando a nacionalidade italiana, mas apenas pedindo o reconhecimento desta condição, que já existe desde que nascemos. (INGERS).

Os colonos e o tradicionalismo gaúcho

Muitos são legados culturais dos italianos para o gaúcho, sua alegria, importância à família, educação formal, religião, jogos de integração e raciocínio, cultivos de hortaliças, o largo consumo d produtos embutidos, de hábitos alimentares à base de leite e massas, aves, além da religiosidade, da conservação dos alimentos nos lugares mais frescos da casa, a adega, as capelinhas devocionais, entre outros, como o alto número de descendentes que hoje integrados aos costumes gauchescos.

La Mérica

Canção dos Imigrantes cantada em dialeto vêneto, de autor anônimo, sobre a aventura da América.